Benefícios


Após muitos anos de guerra, o governo do Camboja ainda luta para prover seu povo com educação, assistência médica e social.

Muitas famílias sofrem com o desemprego e a falta de capacitação e educação dentro de um contexto de vício no álcool, outras drogas e jogo.

Os pais têm dificuldade em estabelecer um ambiente seguro e adequado para o desenvolvimento dos seus filhos. Alguns ainda batalham com doenças diversas, como o HIV/AIDS e são estigmatizados em suas comunidades. Muitos vão para o trabalho e deixam suas crianças desacompanhadas pelas ruas. E há aqueles que, por causa dos vícios, se tornam agressivos com seus filhos e cônjuges fazendo da violência doméstica algum comum nessas comunidades.

De fato, muitas das crianças de rua têm famílias mas, apesar de tão novas, são responsáveis pelo sustento de suas casas, seja por meio de coleta de lixo, fazendo faxina ou vendendo produtos nas ruas. Outras ficam responsáveis por cuidar dos irmãos mais novos, crianças que por vezes tem apenas 8 anos e perdem a oportunidade de estudar.

Sem qualquer supervisão durante a maior parte do dia, esses pequenos estão expostos a abusos, exploração e tráfico.

De acordo com o relatório da UNICEF: “o envolvimento de crianças nas atividades econômicas é muito comum por todo o Camboja. Ao todo, estima-se que 52% das crianças entre 7-14 anos, mais de 1,4 milhões em termos absolutos, são economicamente ativos”.

Fonte: siteresources.worldbank.org/INTEAPREGTOPLABSOCPRO/Resources/UCW-Cambodia.pdf